O que é Psicanálise e para que serve?

Psicanálise foi criada pelo neurologista austríaco Sigmund Freud, com o objetivo de tratar desequilíbrios psíquicos. Este corpo teórico foi responsável pela descoberta do inconsciente – antes já desbravado, porém em outro sentido, por Leibniz e Hegel -, e a partir de então passou a abordar este território desconhecido, na tentativa de mapeá-lo e de compreender seus mecanismos, originalmente conferindo-lhe uma realidade no plano psíquico.  Visa também analisar o comportamento humano, decifrar a organização da mente e curar doenças carentes de causas orgânicas.

O objetivo da psicanálise é libertar o paciente de seus sintomas e de seus problemas. Acima de tudo, é um método curativo, além de ajudar a transformar o paciente em alguém mais adaptado à sua realidade e aumentar a sua inteligência emocional.

Serve para possibilitar que a pessoa suporte viver a pós-modernidade. Saímos de uma sociedade que estabelecia claramente os certos e os errados. O homem atual se apavora frente a essa liberdade e se esconde atrás das fórmulas prontas de viver. Nesse contexto, a psicanálise vai na contracorrente da ideologia de que tudo tem remédio, dos livros de autoajuda e das neorreligiões. Ela transforma a angústia paralisante do homem frente à liberdade responsável das opções em uma ação criativa.

É um método de investigação do modo de funcionar da mente que, bem-sucedido, tem como consequências um desenvolvimento maior da personalidade e proporcionar condições de bem estar mental. Para que serve? Eu poderia perguntar: para que serve existir? A utilidade da psicanálise compartilha com o sentido de nossa própria existência.

Como a Psicoterapia vai te ajudar?

Ela tem como objetivo tratar problemas psicológicos e emocionais.

A  psicoterapia pode ajudar em diversas situações, tais como; crises conjugais, dificuldades de relacionamento, insatisfação profissional, conflitos familiares, separações, ansiedade, baixa autoestima, impulsividade, abuso sexual e luto.

Todas essas questões podem ser abordadas e aprofundadas na psicoterapia, dando  oportunidade  ao paciente de se conhecer melhor e descobrir que caminho seguir. Para uma mesma situação ou um mesmo problema, vários caminhos ou soluções são possíveis. A  psicoterapia auxilia o indivíduo a perceber estas possibilidades e descobrir qual delas é a melhor para si, promovendo o autoconhecimento e a melhora das relações interpessoais.

Além disto,  a psicoterapia pode auxiliar também no tratamento de diversos  transtornos psicológicos e psiquiátricos tais como: depressão, transtorno bipolar, síndrome do pânico, estresse pós-traumático e transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

É importante ressaltar que em vários casos, como o de síndrome do pânico, depressão e transtorno bipolar, é necessário o acompanhamento psiquiátrico concomitante.

A frequência das sessões de psicoterapia pode variar bastante:  semanal, quinzenal, duas  ou três vezes por semana, dependendo da abordagem terapêutica e da necessidade do paciente.   A duração do tratamento psicoterápico também pode ser  bastante variada.

Para que fazer psicoterapia?

Para se conhecer melhor, para descobrir novas respostas para velhos problemas. Nós, muitas vezes automatizamos formas de reagir a diversas situações e mesmo quando estas reações não são mais satisfatórias, insistimos em utilizá-las. A psicoterapia nos ajuda a sair deste círculo vicioso e descobrir novas respostas.
Além disto, a psicoterapia pode auxiliar o indivíduo a lidar com mudanças repentinas que ocorrem na vida como a perda de um ente querido, o diagnóstico de uma doença que traz limitações, um acidente que deixa sequelas ou a perda de um emprego.

Por/Claudina Granzotto