Pior do que não ter pai, é ter um ex pai…

A carência afetiva chega a ser criminosa, mata tanto quanto uma arma de fogo. Ela mata o amor, a dignidade, os sonhos…

Isso é possível? Isso se encaixa para alguns de vocês?

Cada pai que abandona um filho, não sabe o que está perdendo!

Só no Brasil, existem mais de 5,5 milhões de crianças sem “pais”. Uma taxa que vem crescendo num ritmo acelerado.

As consequências do abandono paterno para uma pessoa, são várias: “Há uma série de consequências, já que a criança fica à margem. Ela é diferente das outras pessoas e isso acarreta um comportamento diferente. Ela pode passar a ser agressiva, sentir insônia, apresentar dificuldades para aprender e até sua alimentação pode mudar. Isso é algo preocupante, pois os responsáveis pela criança precisam entender o que está acontecendo, pois ela é um ser totalmente dependente” a sensação de abandono, o sentimento de rejeição gerado pelo descaso do pai.

Abandono afetivo pode virar crime.

Não espere o abandono se tornar crime para mudar seu jeito de pensar, afinal, um filho não se faz sozinho.

O caráter de um homem se mede pela atenção que dispensa aos seus.

No caso de separação do casal, essa atitude está muito comum em deixar os filhos na condição de EX…

Minha indignação é enorme, quando vejo alguns dos  meus alunos e pacientes dizendo que não vê o pai ou mãe, por motivos idiotas, pela conveniência dos dois, por picuinhas. E nessa mediocridade sempre é o filho que sai no prejuízo, cheio de traumas pelo egoísmo dos pais. Egoísmo esse, que lota os consultórios dos Psicanalistas para curar o trauma e a dor de um pai e uma mãe negligente.

Filhos não são DESCARTÁVEIS!!!! Se não quer cuidar de um, não os tenha! Toma pílula, use camisinha, tem distribuição gratuita dos mesmos. Acusar o sistema pela degradação dos nossos jovens é muito fácil, mas fazer a sua parte é difícil néh…

É seu dever, sua obrigação cuidar de seu filho e educa-lo. JAMAIS culpe o outro pela obrigação que é SUA!

Ausência de pais na criação forma filhos mais expostos à criminalidade. O que quero falar aqui é o quanto a ausência e abandono paterno podem acabar com a vida de uma criança.

Os prejuízos vão muito além do nome que não consta na certidão. O abandono material acarreta sérias consequências na subsistência da criança, que depende só da mãe para ser provida. No entanto, a longo prazo, o abandono afetivo acarreta traumas que jamais serão mensurados, já que a ausência paterna pode trazer inúmeros danos psicológicos. As consequências de atos irresponsáveis de homens que decidem por abandonar seus filhos refletem em toda vida do pequeno, prejudicando em diversas maneiras e interferindo desde aspectos físicos e psíquico do seu desenvolvimento.

Muitos homens se orgulham por pagar a pensão estipulada pela justiça e acham que isto basta para cumprir sua função de pai. Uma criança exige muito mais de atenção e cuidados do que simplesmente uma porcentagem do seu salário, isto quando o cara não omite seus rendimentos para não ‘ter que dar mais dinheiro a sua ex-mulher.

Vale lembrar que já existem homens que foram obrigados a pagar indenização por abandono afetivo, que consiste na omissão de cuidado, de criação, de educação, de companhia e de assistência moral, psíquica e social que o pai e a mãe devem ao filho quando criança ou adolescente.

Ou seja, ser pai é muito mais do que reservar uma parte do seu salário e fazer visitas esporádicas de 15 em 15 dias, 1 mês, para ver como a criança está. Se você, homem, não esteve ao lado de uma mãe, jamais saberá o quanto de cuidados e atenção uma criança exige dos seus cuidadores.

É seu dever, sua obrigação cuidar de seu filho e educa-lo. JAMAIS culpe o outro pela obrigação que é SUA!

Psicanalista Claudina Granzotto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *